Dicas de Português da Professora Grace Costa para o Enem 2020

INTERPRETAÇÃO: uma competência para todas as áreas.

Na prova do ENEM, a interpretação de texto não é, ao contrário do que muitos pensam, conteúdo restrito apenas à área das Linguagens. Conseguir fazer uma boa leitura dos enunciados é tão importante quanto ter o conhecimento específico para resolver os exercícios. Portanto, saber interpretar o que está escrito e, principalmente, o que a questão está pedindo, é fundamental para garantir maior número de acertos em todas as áreas do exame.


Muitos afirmam que interpretação textuais depende de cada um. Talvez se pode notar esse aspecto mais subjetivo em textos literários, uma vez que eles fazem uso da linguagem conotativa. No entanto, em escritos não literários, isso não se concretiza. Para evitar equívocos, é necessário observar os mínimos detalhes. Isso serve tanto para os enunciados de questões, quanto para os textos que as acompanham. Por isso, você deve ler sempre com um olhar clínico, observando a linguagem utilizada e os recursos, como as figuras de linguagem, a escolha lexical e o gênero textual. Quanto aos enunciados, para responder exatamente ao que se pede, atentem-se aos verbos de comando das questões.


Especificamente na prova de Linguagens, em que a carga de leitura é maior, o interessante é começar pela leitura do enunciado, assim você sabe o queprecisa focalizar quando for ler o texto base. O comando da questão vai te ajudar a voltar a sua atenção àquilo que precisa realmente desvendar em um texto. Não se preocupe se encontrar alguma palavra desconhecida, continue a leitura sem interrupção. Caso o período seja longo e confuso, coloque-o na ordem direta, isto é, sujeito + predicado + complemento.


Para se preparar para o Enem, a leitura é a sua principal ferramenta
, conheça diferentes gêneros textuais, ressaltando as principais características de cada um.  É importante que você não leia despretensiosamente, observe o que está nas linhas, mas principalmente analise as entrelinhas, faça inferências, perceba a pontuação, os advérbios, as conjunções e lembre-se de que tudo o que está no texto é importante e deve ser analisado. Isso vale tanto para os textos verbais quanto para os não verbais (imagens).


Saber interpretar cada questão é a melhor técnica para o sucesso nas provas das quatro áreas. A interpretação é a sua principal aliada ao lado do conhecimento prévio dos conteúdos que são cobrados.



Minha pátria é minha língua.

 

língua é uma das manifestações culturais que fundamentam a identidade de um povo. É, também, um dos elementos essenciais na construção da subjetividade, possibilitando o elo das novas gerações com a herança cultural da comunidade à qual pertencem. Por isso, identificar, em textos de diferentes gêneros, as marcas linguísticas que singularizam as variedades linguísticas sociais, regionais e de registro, relacionando-as com situações específicas de uso social, é essencial. A variação linguística é um conteúdo muito cobrado na prova de Linguagens. Por isso, é importante você lembrar que, apesar do Português ser nosso idioma oficial, existem algumas variações, pois a língua não apresenta uma uniformidade, principalmente, na modalidade oral.

Cuidado com o preconceito linguístico! Para resolver as questões, o conceito de certo e errado deve ser substituído pelo de adequado e não adequado, considerando, desta forma, aspectos como a intenção do falante, o contexto e o tipo de linguagem. Há quatro tipos de distinção das variantes linguísticas.

Afinal, é “bolacha” ou “biscoito”?

Os dois estão corretos, de acordo com a variação diatópica (regional). Essa influência geográfica no idioma pode aparecer na fonética (sotaque), na sintaxe (na relação entre os elementos que compõem a frase), ou lexical (palavras).


Vossa mercê, isto é só uma phase!

A variação diacrônica (histórica) trata das mudanças ocorridas na língua com o decorrer do tempo. Algumas expressões deixaram de existir, outras surgiram e algumas se transformaram com o passar do tempo. Outras alterações comuns são as de grafia, as quais as reformas ortográficas costumam regular.


Juridiquês, “tá ligado”?!

A variação diastrática (social) está diretamente vinculada às camadas sociais do falante. Assim como a variante regional, ela pode ocorrer nos âmbitos fonético, lexical e sintático. Os principais fatores que interferem na variação diastrática são a faixa etária, a escolaridade, a profissão e o ambiente de circulação.


É “te amarei” ou “amar-te-ei”?

A variação diafásica (estilo) está diretamente associada ao contexto comunicativo, posto que, para cada ocasião, há uma forma diferente de utiliza a língua. Aqui entram as questões de linguagem formal / informal e a adequação à norma-padrão. O uso de expressões rebuscadas e o respeito às regras gramaticais do idioma remetem à linguagem culta, que se opõe àquela linguagem mais coloquial. Assim como acontece em outras variações, a diafásica também ocorre nos planos fonéticos, lexical e sintático.

 

Professora Grace Costa


Confira aqui mais dicas dos professores do Higi para você mandar bem no Enem 2020!

Leia aqui tudo o que você precisa saber sobre o Enem 2020.