Concurso de Redação 2020: 2º lugar (categoria 3)

A esperança de um “novo normal”: é aprovada a vacina contra a COVID-19 no Brasil

 

Por Isadora Ferrarini Zanotelli

O dia é 20 de dezembro de 2020, a população brasileira está em êxtase, vibrando a vitória da biomedicina, que acaba de aprovar a distribuição da vacina contra o novo coronavírus, conhecido por ter tirado a vida de milhares de pessoas ao redor do mundo.

Nas ruas de Porto Alegre, a agitação já dura um dia inteiro, aglomerações ainda não estão sendo efetuadas, mas a comemoração através da música exala a felicidade do povo brasileiro. Desde que anunciada em rede aberta pelo Jornal Nacional, às vinte e duas horas e trinta e sete minutos (22h37min) – horário de Brasília – dia 19 de dezembro de 2020, a notícia de que os testes que vinham sendo realizados no Brasil desde julho do mesmo ano, com o apoio da Inglaterra, tiveram sucesso e que a vacina contra o vírus mais temido no ano de 2020 foi oficialmente aprovada e declarada pronta para uso populacional, nada parece abalar a alegria do povo.


De acordo com Salette, senhora de 70 anos de idade, entrevistada no último sábado, a mais nova “salvação” seria um presente concebido por Deus em resposta às preces realizadas durante esse ano conturbado; de acordo com ela, esse seria o melhor presente de Natal possível aos católicos, visto que a novidade foi anunciada cinco dias antes da data comemorativa. Já Paula, mãe solteira de 40 anos de idade, agradece com excitação aos médicos e pesquisadores pela imensa dedicação a fim de diminuir a dor e o medo de toda a população mundial; para ela, foi um momento de reza para sua falecida mãe, infectada pela COVID-19, e de agradecimento aos profissionais que tornaram possível a redução da dor causada por essa pandemia.


Apesar do anúncio, ainda levará tempo até que as vacinas passem a ser distribuídas normalmente, mas a exaltação da vitória já paira no ar do território brasileiro. Roberto, de 48 anos de idade, chora de emoção ao saber da notícia – de acordo com ele, a mais esperada do ano – e demonstra o alívio de saber que sua mãe, idosa, portanto, grupo de risco, agora terá a oportunidade de se prevenir de forma mais eficaz; sua esperança é que, agora, não precisemos temer a cada passo dado, que pais e mães de família possam sair de casa para trabalhar sem medo de levar o vírus a seus filhos e que, acima de tudo, os números diminuam, evitando mais dor e tristeza na sociedade. O futuro chegou, a esperança domina, a alegria se instala e, assim, um novo normal surge!