Concurso de Redação 2020: 1º lugar (categoria 3)

Vacina contra o coronavírus é anunciada

Por João Pedro Flores

A data era 29 de junho de 2020, uma segunda-feira. Às 18 horas, cientistas da universidade britânica de Cambridge publicaram no site da instituição um vídeo e uma nota relatando a descoberta de uma vacina contra o coronavírus que, além de completamente eficiente e segura, é extremamente barata e fácil de produzir, sinalizando que a cura para a pandemia que assolou o planeta nos últimos meses não é mais mera fantasia. No vídeo, o líder do grupo que sintetizou o composto, Joshua Jones, afirma que todas as sessões de testes apresentaram resultados positivos e amostras já foram enviadas para a OMS para análise. O órgão das Nações Unidas será o responsável pelo aval para a produção em massa e distribuição global da vacina.

Embora o efeito final da situação causada pela COVID-19 ainda demore para chegar, a notícia dada pelos cientistas se alastrou rapidamente pelo mundo e foi o motivo do grito de alegria que estava na garganta de todos desde o início da pandemia. A noite do dia 29 foi marcada por buzinas e fogos de artifício, e a comemoração invadiu a madrugada de ontem. Contagiados pela euforia, nós, do Diário Porto-Alegrense, fomos às ruas da capital para registrar a animação que tomou conta da população. Marcos Braga, funcionário de uma loja de roupas, falou sobre a reação que teve ao receber a notícia: “a pandemia abalou bastante as vendas aqui; quando me contaram que acharam uma vacina, me belisquei para ter certeza de que não era um sonho”. De modo geral, os comerciantes compartilharam do mesmo alívio que Marcos, mas ainda havia os receosos. “É uma excelente notícia, mas vai demorar para tudo voltar ao normal”, observou Alice Viana, gerente de um restaurante. “O movimento vai aumentar, mas a dificuldade para controlar a higiene também […] Mesmo com uma vacina, o perigo ainda existe; vamos ter que continuar alerta”.

Entre os transeuntes, a felicidade era maior. Por mais que o movimento não fosse grande como nos dias pré-coronavírus, o número de pessoas que andava pelas calçadas havia crescido bastante ainda na parte da manhã. A nova vida já estava sendo programada por muitos: “eu e meus amigos começamos a organizar o ‘churras’ assim que soubemos da notícia [risos]”, contou Renata Albuquerque, de 26 anos. Graças à vacina, a esperança retornou, enfim, aos corações de todos.


---

*Em todas as edições da Feira, entre as atividades propostas aos alunos está o Concurso de Redação. Este ano, após uma Oficina de Redação, em parceria com o Curso de Jornalismo da ESPM, a proposta, em tom de esperança, foi inspirada no dia em que multidões foram às ruas para celebrar o final da Segunda Guerra Mundial. Alunos exercitaram a redação de um texto jornalístico, simulando uma cobertura sobre a reação das pessoas após a suposta descoberta de uma vacina contra o Covid-19. Este é um dos nove textos vencedores.